22.3.09

Ah! Como Eu Amei, Ah! Como Eu Caminhei

Olá Amigos

Algumas coisas são inesquecíveis em nossas vidas, algumas então não são apagadas nem com o tempo, cruel com tudo e todos, mas principalmente as lembranças de infância estão entre as que dificilmente são apagadas. Parece que essas lembranças são guardadas dentro de uma caixa indestrutível e lá vamos colocando as nossas lembranças mais queridas.

Os almoços na casa de minha avó, o cheiro do frango, o gosto do cachorro quente da barcaça que fazia a travessia Rio Niterói, o radio de meu pai ligado na Radio Globo, ir ao Maracanã, a feira de São Cristóvão com o meu avô e os discos de minha mãe.

A música sempre foi uma coisa muito forte no meu berço, forjado numa mistura singular. Neto de nordestinos que ouviam muito forro, baião e frevo, carioca por parte de pai (samba até morrer e black music) e por parte de mãe uma paulista com um gosto singular para musica : seresta, MPB, bossa nova e muita jovem guarda (principalmente músicas do Rei Roberto Carlos).

No domingo passado fui a Petrópolis com um grupo de amigos comer num restaurante de renome e badalado no conceito atual. Boa comida, bom vinho, boa companhia e principalmente bom papo, Olhando ao redor encontro um ídolo de nossa musica a muito tempo esquecido com um trabalho maravilhoso esquecido. Era com as musicas dele que minha mãe cantava horas costurando ou cozinhando ou como dizia ele Assobiar e Chupar Cana (coisa alias que toda mulher que conheço faz com um pé nas costas).

Era o Benito de Paula, que com sucessos como retalhos de Cetim, Amigo do Sol, Amigo da Lua, Meu Amigo Charlie Brown, Está tudo no seu lugar, Ah, Como eu Amei, Mulheres em primeiro lugar entre outras músicas que enchiam a minha casa.

Imediatamente me reportei aos findos anos 70 e todas aquelas lembranças invadiram os meus ouvidos, narizes e meu paladar. Relutei pensei em não pagar mico, mais não resisti e pedi um autografo ( que esta guardado a sete chaves ). O Benito foi de uma simpatia e alegria sem igual me atendeu e depois a outras pessoas que incentivadas pelo meu pedido também foram atras de um autografo.

Falei com ele que a musica dele estava no meu MP3 e ele me olhou, meio que assim não acreditando, disse que legal. Não satisfeito pedi a minha esposa que leva-se ele ate mim e mostrei a ele suas musicas em meu MP3. O olhos dele se encheram de vida e brilharam mais intensamente pois na visão dele um cara relativamente jovem ouvir Benito de Paula era quase impossível.

Agradeci e voltei a minha mesa com uma lagrima que teimosamente caia em meu rosto e fiquei agradecendo a deus por ter vivido esse dia e poder guarda-lo dentro daquela mesma caixa onde guardo as minhas lembranças de infância. Ah, Como eu amei.



Inesquecível.

Essa postagem é para o meu amigo Franz que assim como eu um amante de boa música e um eterno saudosista. Se você quiser pode baixar os 20 maiores sucesso de Benito de Paula aqui nesse link ( CD mp3 Benito de Paula - 20 Super Sucessos )

In Infinitum

Robson Freire

Um comentário:

Franz Kreuther Pereira disse...

Pô, bicho, 'mó barato' essa postagem!! Amigo Robson, li sua postagem com emoção e (porque não dizer) até mesmo comoção. Mais ainda quando, ao chegar no final vejo que a dedicastes a mim. Cabra, isso é uma honra da qual não me acho merecedor, mas tua gentileza me alcança o coração.
Sim, sou um saudosista contumaz, e fico muito satisfeito em encontrar outros como tu e o Martoni. Ao contrário das leis da eletricidade e magnetismo, nas relações humanas são os semelhantes que se atraem.
Obrigado por sua amizade. Franz