15.10.09

Hoje é Dia do Professor


Os professores nunca têm razão

Se é jovem, não sabe nada;
Se é velho, está desatualizado.
Se não tem carro, é um fodido;
Se tem carro, chora de barriga cheia.
Se fala em voz alta, grita;
Se fala em tom normal, ninguém escuta.
Se nunca falta às aulas, é caxias;
Se falta, é um turista.
Se conversa com outros professores, está falando mal de algum aluno;
Se não conversa, é um desligado.
Se dá a matéria toda, não tem dó dos alunos;
Se não dá , não prepara os alunos.
Se brinca com a turma, é metido a engraçadinho;
Se não brinca, é um chato.
Se chama a atenção, é autoritário;
Se não chama, não se sabe impor.
Se a prova é difícil, não dá tempo de terminar;
Se a prova é fácil, tira a oportunidade aos alunos bons.
Se escreve muito, não explica;
Se explica muito, o caderno não tem nada.
Se fala corretamente, ninguém entende porra nenhuma;
Se usa a linguagem do aluno, não tem vocabulário.
Se o aluno é reprovado, é perseguição;
Se o aluno passa, o professor facilitou.

É verdade, os professores nunca têm razão...

6.9.09

Uma bela mensagem

"Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo. E que posso evitar que ela vá à falência. Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise. Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história. É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma. É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida. Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um "não". É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta. Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo..."

Fernando Pessoa
Poeta e escritor português

23.8.09

Mario Kart Love Song

Olá Amigos

Hoje recebi da @twittess uma dica sobre esse vídeo abaixo. Uma canção romântica do game Mario Kart. A musica é meio emo, mas é uma gracinha e a letra ficou bem legal. A musica é do Sam Hart e já passou da marca de três milhões de exibições no YouTube.

Da uma conferida e veja se não tenho razão.

In Infinitum



Lyrics:

V1:
You be my princess
I'll be your toad
I'll follow behind you
on rainbow road
Protect you from red shells
wherever we go
I promise.

V2:
Noone will touch us
if we pick up a star
If you spin out
you can ride in my car
When we slide together
we generate sparks
in our wheels and our hearts

Chorus:
The finish line
is just around the bend
I'll pause this game
so our love will never end
Let's go again

V3:
The blue shell is coming
so I'll go ahead
If you hang behind
it'll hit me instead
but never look back
cause I'm down but not dead
I'll catch up to you

Bridge:
Don't worry about
Bowser or DK
Eat this glowing mushroom
and they'll all fade away

Chorusx2

to the mushroom cup
and the flower cup
and the star cup
and the reverse cup

walalalalala
walalalalalawaluigiiiiii

COPYRIGHT 2008
Music and Lyrics by Sam Hart

Tradução

Letra:

V1:
Você é minha princesa
Eu serei o seu sapo
Eu vou seguir atrás de você
na estrada do arco-íris
Protegê-lo a partir de cascas vermelhas
onde quer que vamos
Eu prometo.

V2:
Ninguém vai nos tocar
se pegar uma estrela
Se você ficar fora
você pode andar no meu carro
Quando estamos juntos slide
podemos gerar faíscas
em nossas rodas e os nossos corações

Refrão:
A linha de chegada
é apenas em torno da curva
Eu vou parar este jogo
o nosso amor nunca vai acabar
Vamos denovo (Let's go again)

V3:
O escudo azul está chegando
então eu vou em frente
Se você cair para trás
ele vai me bater, em vez
mas nunca olhar para trás
Porque eu estou triste, mas não está morto
Eu vou pegar até você

Ponte:
Não se preocupe
Bowser e DK
Coma o cogumelo incandescente
e todos eles desaparecem

Chorusx2

para o cogumelo do copo
e a xícara de flor
e o copo da estrela
e o copo reverso

walalalalala
walalalalalawaluigiiiiii

COPYRIGHT 2008
Music and Lyrics by Sam Hart

9.8.09

Amor Eterno


Olá Amigos

Hoje é dia dos pais e eu estou aqui junto aos meus filhos comemorando esse dia. Logo após o café da manhã animado em que todos sentados a mesa, falando juntos ao mesmo tempo, querendo o mesmo talher, beliscando o que está ao lado e que fazem a minha família ser igual às outras tantas espalhadas por esse Brasil afora.

Terminado o café me peguei lembrando do meu pai e me deu uma saudade daquelas. Levantei é fui colocar um disco do Cartola para ouvir e me lembrei de mim, ainda guri, soltando pipa e correndo pelas vielas do morro da Mangueira e meu pai na quadra arrumando o seu surdo e cantando Cartola.

Verde que te quero Rosa (é a Mangueira)
Rosa que te quero Verde (é a Mangueira)
Verde que te quero Rosa (é a Mangueira)
Rosa que te quero Verde (é a Mangueira)

Lembrei-me das historias que ele contava sobre como era ser criança ali naquelas mesmas vielas em que eu hoje brincava, e que infelizmente os meus filhos não puderam brincar. Das rodas de samba na minha casa até o dia clarear, dos almoços de domingo regados a macarrão e frango assado, ao sorriso contagiante de minha mãe cantarolando na cozinha.

Aqueles dias dos pais eram mais simples sem tantos presentes tecnológicos e caros que hoje fazem parte da comemoração, mas tinham um sentimento especial: o amor de um filho por um pai.

Às vezes herói e outras tantas nem tanto, mas sempre presente e firme mesmo nas fases mais difíceis de nossas vidas, lá estava ele sereno e ponderado, as vezes o meu maluco beleza. Paixão só 2: samba e família. Achar meu pai durante os meses de janeiro e fevereiro era como acertar na loteria, pois nessa época ele esta as voltas com o desfile de sua maior paixão: A Mangueira.

Quantas coisas boas eu e meus irmãos pudemos vivenciar para hoje poder contar aos nossos filhos o que pairava naqueles dias: um amor tão gostoso que hoje me lembrando dá uma saudade enorme daquele moleque de pé sujo, humilde e que não trocaria presente nenhum do mundo por mais 5 minutos com o meu pai para dizer a ele aquilo que esta aqui dentro:

Pai, Eu te amo.

Aos filhos e pais o meu sincero Feliz Dia dos Pais.

Robson Freire

Uma questão de escolha - Consumo Consciente


Olá Amigos

Precisamos pensar no quanto o consumo consciente poderá fazer diferença na realidade em que vivemos. Com ações cotidianas, concretas e voluntárias de consumo consciente permitiriam a qualquer pessoa contribuir para a preservação do meio ambiente e melhorar a qualidade de vida de todos. Um amplo despertar de consciências para esta nova realidade é um dos desafios da humanidade.



Pensar se devemos comprar e principalmente se precisamos comprar. Você é o tipo de pessoa que entra no supermercado e avalia cada produto que vai colocar dentro do carrinho ou não está nem aí para sua origem e se realmente precisa daquilo naquele momento - muitas vezes, pagando caro por sua escolha?

Quem sabe, não chega a esse ponto, mas adora produtos bem baratos, de origem um tanto quanto suspeita e que podem ser consumidos de forma exagerada, sem passar por sua cabeça que está por trás desse baixo custo a exploração da mão-de-obra e geração de problemas sociais ou, até mesmo, o trabalho infantil?



A consciência tem um preço, o qual nem todo mundo concorda em pagar, já que aparenta ser mais elevado do que se gostaria. Muitas questões, sobretudo as ecológicas e ambientais, perpassam pelo seu despertar, nem sempre aceito com tanta prontidão quanto necessário. Criar uma nova cultura que abra espaço para a qualidade e uma vida sustentável ainda parece utópico e distante. Um sonho por uma vida melhor para todos em um planeta ambientalmente limpo e sustentável.

No entanto, o aumento populacional e o consumo desenfreado há tempos vem gerando problemas de grande monta que se tornam cada vez mais críticos, ao ponto de ameaçar a viabilidade de toda espécie de vida sobre a Terra. Esse contexto iminente faz parte de todo um sistema, desencadeado por uma lógica de funcionamento que necessita ser repensada para uma mudança urgente e global.



Por isso blogueiros de diversos lugares estão envolvidos nessa blogagem coletiva em prol de um consumo consciente e várias entidades mundiais e organizações não-governamentais - ONG como o Instituto Akatu e a ONG Terrazul, tem feito um trabalho importante.

Para a formação de consumidores conscientes passa pelo processo educativo, pois é uma ferramenta poderosa, capaz de gerar um senso crítico e ampliar a visão para que novas escolhas sejam estabelecidas é a escola.

Para influenciar as futuras gerações a serem consumidores conscientes, o mais importante é acima de tudo o exemplo dos pais, abordar o tema na escola de maneira multi-disciplinar, incentivar a convivência das crianças com a natureza, tratar do tema nos meios de comunicação e como programas infantis na TV.

A ideia central não é dizer para as pessoas o que elas devem ou não fazer, o que devem ou não consumir. Fornecer elementos para que pensem e reflitam. O objetivo é aprender a escolher com consciência. Oferecer a informação para as próprias pessoas decidirem é mais desafiador.



O consumo consciente ou sustentável é um conceito bem mais aberto, que hoje está além da direção da economia, dos direitos do consumidor e da reciclagem de lixo. Não é uma postura reativa, mas leva o consumidor a se identificar como um protagonista dentro desse amplo contexto social, político e cultural.

"O consumidor tem poder. Pode e deve usá-lo em benefício de uma sociedade mais sustentável. Ele parte da forma básica do cidadão consumidor para se tornar um consumidor cidadão
"

Participe da blogagem coletiva sobre Consumo Consciente para discutirmos e divulgarmos ações que levem a um cotidiano de consumo sustentável.

Abraços

In Infinitum

8.8.09

Tempo tempo tempo tempo

Olá amigos

Hoje é meu aniversário e por isso gostaria de presentear vocês com uma das mais belas canções do Caetano Veloso. A música Oração do Tempo é lindíssima e com ela gostaria de homenagear aos amigos, reais e virtuais, por fazerem parte de minha vida.

A minha linda família, minha mulher e meus filhos, a minha mãe linda e meu irmão e minhas irmãs e sobrinhos só uma coisa a dizer: Amo Vocês.

Deixo aqui um refrão da música que bem me representa e o que eu acredito ser a minha missão na terra.

"De modo que o meu espírito
Ganhe um brilho definido
Tempo tempo tempo tempo
E eu espalhe benefícios
Tempo tempo tempo tempo..."

In Infinitum

Robson Freire

Oração ao Tempo



Oração ao Tempo
Caetano Veloso

És um senhor tão bonito
Quanto a cara do meu filho
Tempo tempo tempo tempo
Vou te fazer um pedido
Tempo tempo tempo tempo...

Compositor de destinos
Tambor de todos os rítmos
Tempo tempo tempo tempo
Entro num acordo contigo
Tempo tempo tempo tempo...

Por seres tão inventivo
E pareceres contínuo
Tempo tempo tempo tempo
És um dos deuses mais lindos
Tempo tempo tempo tempo...

Que sejas ainda mais vivo
No som do meu estribilho
Tempo tempo tempo tempo
Ouve bem o que te digo
Tempo tempo tempo tempo...

Peço-te o prazer legítimo
E o movimento preciso
Tempo tempo tempo tempo
Quando o tempo for propício
Tempo tempo tempo tempo...

De modo que o meu espírito
Ganhe um brilho definido
Tempo tempo tempo tempo
E eu espalhe benefícios
Tempo tempo tempo tempo...

O que usaremos prá isso
Fica guardado em sigilo
Tempo tempo tempo tempo
Apenas contigo e comigo
Tempo tempo tempo tempo...

E quando eu tiver saído
Para fora do teu círculo
Tempo tempo tempo tempo
Não serei nem terás sido
Tempo tempo tempo tempo...

Ainda assim acredito
Ser possível reunirmo-nos
Tempo tempo tempo tempo
Num outro nível de vínculo
Tempo tempo tempo tempo...

Portanto peço-te aquilo
E te ofereço elogios
Tempo tempo tempo tempo
Nas rimas do meu estilo
Tempo tempo tempo tempo...

31.7.09

Vídeos de Casamentos e Divórcios

Olá Amigos

Como todo bom viral da internet o hit do momento é um vídeo do casamento pra lá de divertido. No vídeo o jovem casal americano Kevin e Jill dançam na igreja ao som de Forever, de Chris Brown, tornaram-se o hit mais quente da semana no YouTube, com quase nove milhões de exibições.


Noivos, padrinhos e sacudidas vovós dançam, rebolam e rodopiam numa coreografia bem azeitada que deixa claro que tudo foi cautelosamente ensaiado para a cerimônia.

Semanas antes, outro casamento ganhou fama na web por encenar uma versão black-tie de Thriller. O novo vídeo, no entanto, é mais surpreendente por executar a performance dentro da igreja e não no salão de festas.


Publicar o casamento no YouTube, aliás, virou lugar comum entre noivos. Empresas especializadas em eventos já colocam na lista de seus serviços um clipe resumido da cerimônia para publição online.

É um modo menos massacrante de compartilhar o evento com amigos do que os encontros pós-casório em que as visitas são obrigadas a assistir um DVD de uma, duas ou três horas.

No Brasil, os admiradores de Kevin e Jill já preparam versões tropicalizadas do viral. Não estranhe se, ao passar por uma igreja, ver uma noiva caminhar para o altar aos passos da Banda Carrapicho ou ao som de sucessos de Joelma e Chimbinha ou afins.

Mas o melhor e que agora começaram a aparecer vídeos baseados nesses vídeos citados acima. Um dos melhores é o do divórcio. Realmente hilário.

Enjoy

In Infinitum

Robson Freire

28.7.09

Mark Wills - Don't Laugh At Me

video

Don't Laugh At Me

I'm a little boy with glasses
The one they call a geek
A little girl who never smiles
'Cause I have braces on my teeth
And I know how it feels to cry myself to sleep
I'm that kid on every playground
Who's always chosen last
A single teenage mother
Tryin' to overcome my past
You don't have to be my friend
But is it too much to ask

Don't laugh at me
Don't call me names
Don't get your pleasure from my pain
In God's eyes we're all the same
Someday we'll all have perfect wings
Don't laugh at me

I'm the beggar on the corner
You've passed me on the street
And I wouldn't be out here beggin'
If I had enough to eat
And don't think I don't notice
That our eyes never meet

Don't laugh at me
Don't call me names
Don't get your pleasure from my pain
In God's eyes we're all the same
Someday we'll all have perfect wings
Don't laugh at me

I'm fat, I'm thin, I'm short, I'm tall
I'm deaf, I'm blind, hey, aren't we all

Don't laugh at me
Don't call me names
Don't get your pleasure from my pain
In God's eyes we're all the same
Someday we'll all have perfect wings
Don't laugh at me

Não Ria de Mim

Eu sou um garotinho de óculos
Aquele que chamam de nerd
Uma garotinha que nunca sorri
Porque uso aparelho nos dentes
E eu sei como é o sentimento
De chorar sozinho até dormir

Eu sou aquela criança em todos os jogos
Quem é sempre escolhido última
Uma única mãe adolescente
Tentando para superar o meu passado
Eu estou tentando ser meu amigo
Mas será que é demais pedir

Não ria de mim
Um dia todos nós teremos asas perfeitas
Não ria de mim

Eu sou o aleijado na esquina
Você passou por mim na rua
E eu não estaria alí, suplicando
Se eu tivesse o suficiente pra comer
E não pense que eu não diria
Que nossos olhos nunca se encontram

Eu perdi a minha esposa e o meu garoto quando
Alguém cruzou aquela linha amarela
O dia em que nós os deitamos no chão
É o dia em que eu enlouqueci
E agora eu estou abaixado
Pra segurar esse pedaço de cartão
Então

Não ria de mim
Não me xingue
Não sinta prazer da minha dor
Aos olhos de Deus nós somos todos iguais
Um dia todos nós teremos asas perfeitas
Não ria de mim

Eu sou gordo, eu sou magro, eu sou baixo, eu sou alto
Eu sou surdo, eu sou cego. Mas afinal, quem não é?

Não ria de mim
Não me xingue
Não sinta prazer da minha dor
Aos olhos de Deus nós somos todos iguais
Um dia todos nós teremos asas perfeitas
Não ria de mim

1.7.09

Hiperinflação de conteúdo: e se a gente não aguentar mais?

Ana Amélia Erthal

Imagine que não aguentamos mais conviver com tanto conteúdo, que nossa atenção ficou tão reduzida que não conseguimos mais nos concentrar em nada com profundidade, que os estímulos nos interrompendo a todo instante em tantas mídias diferentes eram tantos que ... não conseguimos ler os jornais, acompanhar os twitts, ver os filmes na TV, não respondemos e-mails, não olhamos nossos blogs e portais favoritos, não acompanhamos as séries, não damos mais conta de tanta informação... e, por fim, não resistimos à cultura contemporânea do excesso.

Se esse cenário existisse, a primeira providência seria banir o direito da leitura. Sim, porque afinal de contas, ler faz mal. Ou como diz o nosso caríssimo presidente Lula, "ler dá azia". Claro que tudo isso é uma brincadeira, mas serve pra gente pensar mais um pouco sobre a Era do Excesso de informação, que já esteve nessa coluna algumas vezes.

O filme Fahrenheit 451 faz uma leitura bem legal e mostra exatamente esse cenário em que a leitura é proibida. Ele foi adaptado do livro de Ray Bradbury e conta a história de um tempo no futuro em que o trabalho dos bombeiros era destruir livros. As pessoas "deduram" as outras e os bombeiros vão até as casas, procuram os livros proibidos, juntam tudo e depois incendeiam. Em vez de apagar, os "firemen" acendem o fogo, já é bem curioso. O filme tem esse nome porque é essa a temperatura em que o papel queima e embora seja antigo, tem um roteiro bem inteligente. É engraçado ver a revista/ jornal que mais parece um quadrinho, mas sem nenhuma letra, aliás, não há inscrição nenhuma em todo o filme, a não ser nos livros proibidos.

Outra passagem muito legal é a do comandante dos bombeiros explicando para o operador de lança-chamas porque é que os livros são perigosos para a mente humana e como eles nos tornam diferentes um dos outros. Para efeito de análise, podemos aplicar esse conceito dele para as outras mídias e conteúdos também: como nos diferenciamos por eles?

Eu preparei uma pequena edição de quatro minutos. Na primeira parte há o ritual de queimar livros e na segunda, o discurso do comandante, veja:

Fahrenheit 451

Então, o que achou? Se quiser saber mais sobre cultura do excesso, leia também esse artigo no blog do Encontro de 2 Mundos.

Up the Webwriters!

Fonte: http://imasters.uol.com.br/artigo/13217/webwriting/hiperinflacao_de_conteudo_e_se_a_gente_nao_aguentar_mais/

19.6.09

Games for Change – jogos para mudar o comportamento social

Olá Amigos

Todos sabem que eu adoro um "gamezinho" para passar o tempo e gosto mais ainda de ações que ajudem socialmente os mais necessitados e navegando pela internet achei esse tesouro.
Games for Change, também conhecido como G4C, é um movimento participativo, sem fins lucrativos, dedicado a usar jogos em vídeo e computador para mudanças sociais. Qualquer vídeo game pode ser referendado como um “game for change” se for produzido pela comunidade através de equipes multidisciplinares ou, de outros, desde que cumpram os ideais de interesse público. Com isso pretendem aproveitar o extraordinário poder de jogos de vídeo para resolver as questões mais prementes dos nossos dias, incluindo a pobreza, direitos humanos, conflito global e as alterações climáticas. A organização realiza um festival anual e disponibiliza recursos para o desenvolvimento. Confira a lista e experimente os jogos disponíveis.

Visitem e Have Fun

In Infinitum

Fonte: http://enioaragon.wordpress.com/2009/06/17/games-for-change-%e2%80%93-jogos-para-mudar-o-comportamento-social/

12.6.09

Playing for Change: Paz através da música

Olá Amigos

Hoje recebi da minha amiga Suzana Cividanis um email contendo uma jóia dentro. Era uma versão remixada e cantada por moradores de rua e varias pessoas pelo mundo cantando e tocando a música Stand By Me do maravilhoso John Lenon. O clipe faz parte do premiado documentário, "Playing for Change: Paz através da música".

Aqui, onde me encontro, na minha casa, quente, com comida , conforto e pessoas que me querem bem, torna-se insuportável saber que , neste mesmo momento, há bombardeios em Gaza, no Congo, em Ruanda, etc. Além de milhões de pessoas que morrem, sem água, sem comida e roupa, sem casa e outros, com isso, mas no desemprego, sem posses para sobreviver, para ter uma vida no mínimo digna: que mundo é este?

Como digo aos amigos mais próximos: O insuportável é aqui tão perto de casa!

O clipe, a musica, o conceito tudo é lindo e perfeito, ainda há quem pense que dar dinheiro à músicos de rua é caridade, para mim eles e elas trabalham. Que belas ficam as cidades cheias dos sons de seus músicos de rua! As ruas do mundo inteiro deveriam encher-se destes sons. Que pena se não existissem!

Não há palavras. Quando o ser humano quer até consegue ser espetacular. A música, a poesia, a voz, a expressão e o sentimento são universais. É a música na rua, para ser desfrutada pelo povo anônimo que não vai aos concertos. A música que aproxima povos e continentes. Trazer a música para a rua talvez contribua para um mundo mais solidário.

A música como um extraordinário meio de comunicação entre os cidadãos do mundo, independentemente da raça ou religião. Legal ver tantas gerações e raças e um único modo de se comunicar… a musica. É incrível como uns simples acordes nos fazem acreditar num mundo melhor…

Mudança, começa por aí…esperança cantada…

Por isso vamos nos juntar ao movimento para ajudar a inspirar as pessoas ao redor do mundo para se unirem através da música. Ainda podemos salvar o mundo…Eu acredito, desde que “You stand by me”!

Emocione-se

In Infinitum

Robson Freire

11.6.09

Pintando o amor no Dia dos Namorados

Olá Amigos

Hoje me deparei com um daqueles achados maravilhosos que me fazem gostar mais e mais da internet. Como amanhã é dia dos namorados, e sejam eles de que idade forem, é um dia muito legal de se comemorar.

labuat O site fantástico da banda Labuat

Eu que já tenho a minha namorada há bastante tempo e com ela tenho 3 filhos lindos, ficamos admirando a musica e "nossa obra". O site propõem "pint ar uma canção, que alem de lindíssima tem efeitos maravilhosos para se ver. Depois de pintar a musica e só ver o vídeo que vocês fizeram juntos.

A música e de uma banda espanhola chamada Labuat que ganhou minha admiração em razão da bela voz de sua cantora Virgínia, sua bela música e o fantástico website que criaram para esta.

No site, que é dedicado a promoção do novo single da banda (Soy tu aire), pode-se pintar em uma tela virtual. Ao mesmo tempo, certos trechos da música modificam o pincel, criando efeitos muito legais na tela. Vale muito a pena entrar e conferir e aproveitar e procurar mais dessa banda que desde já entrou nos meus favoritos.

Lindo! mesmo! Visitem :-) http://soytuaire.labuat.com/ ou cliquem na imagem abaixo.

soytuaire


Aqui o clipe oficial da musica Soy tu aire http://www.youtube.com/watch?v=SkX_XUl1Jdg

Feliz Dia dos Namorados para todos.

In Infinitum

Robson Freire

4.6.09

Marco Histórico


Olá Amigos

Tenho uma admiração espontânea pelo Barack Obama, pois seus discursos quase sempre vem acompanhado de ações, as vezes nem tão efetivas, que condizem com o seus discursos. S discursos do dia da posse, o de estar contra a proliferação de armas nucleares e agora de conciliação com os mulçumanos.

Assisti ao discurso via Globo News e me encantei com as falas dele durante o seu pronunciamento:

"Vim buscar um novo começo entre os Estados Unidos e os muçulmanos através do mundo, um começo baseado no interesse mútuo e no respeito mútuo, um começo baseado nesta verdade de que os Estados Unidos e o islã não se excluem",

"Enquanto nossas relações forem definidas por nossas divergências, daremos o poder aos que espalham o ódio antes da paz, aos que promovem o conflito ao invés da cooperação",

"Este ciclo de desconfiança e de discórdia deve terminar",

"A primeira coisa que devemos enfrentar é o extremismo violento em todas as suas formas que devemos enfrentar finalmente juntos",

"Em Ancara, eu disse claramente que os Estados Unidos não estão, e nunca estarão, em guerra contra o islã",

"Estamos dispostos a seguir adiante sem condições prévias com base no respeito mútuo, mesmo que seja difícil superar décadas de desconfiança com o Irã",

"Não se trata simplesmente dos interesses americanos. Se trata de impedir uma corrida armamentista nuclear no Oriente Médio, que poderia levar esta região e o mundo por um caminho extremamente perigoso", "toda nação - inclusive o Irã - tenha o direito de acesso à energia nuclear pacífica, se o fizer de acordo com o Tratado de Não Proliferação Nuclear".

Terminei de assistir visivelmente emocionado, pois poucas vezes, vi um discurso tão objetivo e conciliador vindo do Tio Sam. Espero sinceramente que esse ato de estender mão e chamar o islã para sentar a mesa e discutir suas diferenças é um marco historio mundial.

Abraços

In Infinitum

23.5.09

Gamer

Olá Amigos

Acabou de cair na rede o trailer do filme "Gamer" com Gerard Butler ( "o cara" de"300") . O trailer é muito bom e trás um gostinho de quero mais danado. A galera que frequenta aqui o In Infinitum já sabe que eu curto filme, games e rock. Juntando isso tudo...



Gamer, tem um alto conceito de ação e thriller junto. Num futuro próximo, um momento em que a mente controla a tecnologia, que tomou a sociedade de forma tempestuosa. Humanos controlam outros seres humanos em uma escala maciça, tipo game multiplayer online.


Gerard Butler em seu novo filme, "Gamer"

O jogo evoluiu para uma nova dimensão aterradora: controlar a mente e a manipulação de pessoas jogando contra pessoas! No centro está Kable (Gerard Butler), o super herói e culto de Slayers, o selvagem, ultra-violento personagem de primeira pessoa, o atirador do jogo. Kable é controlado por Simon, um jovem jogador que continua a desafiar todas as probabilidades, orientando Kable à vitória em cada semana.



A partir de sua família, que foi aprisionada e forçados a lutar contra a sua vontade, como os gladiadores dos dias modernos que devem sobreviver tempo suficiente para escapar ao jogo para libertar a sua família, recuperar a sua identidade e, para salvar a humanidade do Castelo implacável da tecnologia. Data de lançamento: 4 de setembro de 2009. Anota ai e vê se não perde a estreia.

Assistam o trailer



Promete

In Infinitum

18.5.09

Papo de Mulherzinha

Olá amigos

Ontem o meu amigo Sergio Lima do blog Blog e Física entre outros colocou uma provocação na lista de discussão edublogosfera bem legal sobre umas entrevistas na Folha Ilustrada e na revista Época, da Maria Mariana (aquela mesmo de confissões de adolescentes e filha do Domingos de Oliveira) e um texo no blog Cris Talk da Cristiana.

http://palavrasapenas.files.wordpress.com/2008/11/familia20201.jpg

Pois é amigos Maria Mariana cresceu, casou e se reproduziu, esta com 4 filhos. Ele escreveu um texto que matou as feministas de raiva, pois ela foi virtualmente contra tudo o que ela defendia. Há uma citação sobre "pegar cueca do marido" que reverberou com uma intensidade que só a internet pode dar. Mas o que eu quero discutir aqui é um ponto do texto da Cristiana, bem legal.

Ela cita assim:

"Nem tão pouco acho que mulher tem que parar de trabalhar. Mas diminuir o ritmo, se quiser realmente fazer o servição que é a educação dos filhos.

Se essa diminuição de ritmo a torna não-competitiva para o mercado, então o problema está no mercado. O problema é social. Não individual. Vamos tirar a mãe da berlinda e colocar o nosso sistema de vida capitalista e desumano no centro da questão."

Isso amigos é que eu quero discutir: uma mudança em favor da família. Propiciar as mães e aos pais um tempo maior com os filhos, uma mudança no comportamento empresarial onde a competição fosse menor (utopia), onde os filhos e a família fossem mais valorizados. Com isso a educação e o desenvolvimento das crianças seriam melhores.

To falando abobrinha?

Tá tudo errado?

Então faz assim: Comente.

In Infinitum

Robson Freire

11.5.09

"Lifes For Sharing"

Olá Amigos

Vi dois vídeos muitos bons sobre educação e compartilhamento de conhecimento. Dois são da Kaplan University, um intitulado Kaplan University Professor Spot ("Your Time") e o outro um spot de Tv ("Desks") muito bons. Logico que o lado comercial do produto educação esta a venda (viu Su, Eu aprendi) no vídeo mas a mensagem é bem legal.





Agora o outro vídeo T-Mobile Advert "Lifes For Sharing", que da título a postagem é muito bom. Só tem uma palavra para descrever o vídeo: Contagiante. Igual a vírus de gripe suína o vídeo é demais de contagiante e inteligente, logico que o produto (olha ai de novo) celular estava a venda, mas mesmo assim achei muito legal a mensagem do vídeo. O anuncio foi filmado as 11 horas de uma quinta-feira do dia 15 de janeiro de 2009 na estação Liverpool Street, Londres ( durante a hora do rush). Isso fora a trilha sonora muito boa. Repara na reação das pessoas em volta.



Na trilha sonora rola Lulu - Shout, Yazz - The only way is up, Pussycat Dolls - Don't cha, Valsa Vienense, Kool & the Gang, Rainbow - Since you've been gone, Millie Small - My Boy Lollipop e Contours - Do you love me.

Olha, vira e mexe assisto o vídeo e quando vejo estou dançando na sala.

Recomendo.

In Infinitum

Robson Freire

10.5.09

Essas Mulheres Maravilhosas

Olá Amigos

Hoje é o Dia das Mães (apesar de achar que dia das mães é todo dia) eu quero prestar uma homenagem a todas as mulheres desse imenso país. Vou homenagear 3 mulheres que são tudo para mim e que representam marcos na minha vida.

Primeiro a minha mãe Carmen, uma mulher de fibra, garra e acima de tudo um exemplo de vida. Minha mãe teve poliomielite com 1 ano de idade e ficou paraplégica, então minha avô, outra mulher guerreira, lutou com tudo o que podia para dar a minha mãe uma vida normal. Minha mãe que é um mulher lindíssima, teve uma vida normal e produtiva como poucas pessoas eu conheci.

Desde que meu pai foi-se embora, ela assumiu o controle da casa, dos filhos, da vida de todos, enfim de tudo. Teve 2 empregos desde que eu me entendo por gente. Mulher em que a vida teima em ficar derrubando, mas ela teimosa como só o que, sacode a poeira e dá a volta por cima. Obrigado mãe por você ser esse exemplo de vida e amor para mim.

A outra mulher é minha esposa Sônia. Mulher que é meu suporte, meu porto seguro, meu apoio emocional e que além de todas as qualidades e defeitos (sim elas tem defeitos) é o grande amor de minha vida. Sou o que sou hoje graças a essa fantástica mulher, que lutou e luta comigo até hoje para termos uma família unida e feliz. Enfrentou comigo todas as tempestades da vida (e algumas que eu mesmo fiz) sem nunca desistir ou me abandonar. Mesmo agora na fase mais madura de nossas vidas ela continua sendo uma leoa. Obrigado Nona (ela vai odiar eu dizer o seu apelido) por tudo.

E por ultimo a minha linda filha Ana Clara, que é a síntese de todas as alegrias que um homem pode ter na vida. Quando ela nasceu (13 anos apos o caçula) foi um injeção de alegria que renovou o casamento e a família, já que os meninos estavam começando a ganhar o mundo. Minha filha, que irá ser mãe também, algum dia, eu te amo.

Por ser criado e ter essas mulheres (todas multitarefas, conceito baseado nelas) a meu lado, aprendi a ver o mundo pelos olhos das mulheres. O mundo seria infinitamente melhor se elas estivem realmente no comando das decisões importantes. Como não posso deixar de homenagear a todas as mães que perderam seus filhos lutando pela liberdade desse país e que ajudaram a forjar a fibra da mulher brasileira.

Feliz Dias das Mães.

In Infinitum

8.5.09

Ode ao Torturador

Olá Amigos

Encontrar hoje uma noticia sobre uma missa que ocorreu nesta quarta (6), em São Paulo. Onde o homenageado era o delegado/torturador/assassino/repressor Sérgio Paranhos Fleury, personagem fundamental do regime militar dos anos 60 e 70.

 Reprodução
Fleury em 1978. Para protegê-lo, o governo militarcriou até uma lei

Fleury foi uma celebridade e ganhou fama nacional por prender, torturar e matar bandidos comuns e integrantes de organizações de esquerda durante a ditadura militar (1964-85). A missa em sua homenagem foi uma celebração dos que têm saudade não só dele, mas também da ditadura militar e de um tempo em que o Brasil, na visão deles, não era “essa baderna”.

Além da missa ver que o Tribunal de Justiça de São Paulo arquivou o processo contra o coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, acusado de comandar a tortura no DOI-Codi paulista. O processo extinto se refere à morte do jornalista Luiz Eduardo Merlino, militante do Partido Operário Comunista, em 19 de julho de 1971 e de torturar mais de 47 pessoas, dentre elas a atriz Bete Mendes que o acusou. Ela foi presa quando combinava a militância clandestina numa organização guerrilheira com o trabalho de atriz na novela Beto Rockfeller, em que era a heroína juvenil, Bete denunciou torturas e disse ter testemunhado ao menos uma morte enquanto esteve na cadeia. E nem assim ele foi julgado culpado.

Orlando Brito
PC DO B
Em 1976, uma ação militar eliminou o Comitê Central do partido em São Paulo.
Ustra coordenou a operação

O mais conhecido centro de torturas do regime militar que governou o país entre 1964 e 1985, registra um total de brasileiros que perderam a vida sob o regime militar em 300 pessoas. Lembro da agonia de minha mãe e de minha avó sem saber noticias de meu avô e de meu pai. Os telefonemas durante a madrugada e a infinitas indas e vindas delas em busca de noticias.

Trinta e quatro anos depois de deixar suas funções, esse monstro foi agraciado com todas as honras do período, ele acabou ficando identificado como símbolo daquilo que o regime militar brasileiro produziu de mais nocivo – a crueldade, a morte, o desaparecimento, a violência contra cidadãos desarmados e sem defesa.

Embora aja quase cinco centenas de militares e policiais civis tenham sido relacionados em listas de torturadores, mas quase nenhum deles foi julgado culpado por todas as atrocidades cometidas em nome da estabilidade do regime.

Me indigno sempre que vejo homenagens a esses pulhas, acho que damos pouco valor aos verdadeiros heróis da resistência nacional, que lutaram e defenderam o direito a liberdade. Abomino qualquer forma de repressão, moderação, censura ou qualquer nome que tenha, pois acredito no debate, no dialogo e principalmente na liberdade. Sou filho da liberdade, militante e me orgulho muito disso.

In Infinitum

Robson Freire

Quebra Tudo

Olá Amigos

Uma discussão iniciada na lista de discussão edublogosfera sobre a reportagem "MEC pretende acabar com a divisão por disciplinas no ensino médio público em 2010" gerou um debate bem legal acerca do tema.

http://www.colegiointerativa.com.br/netmanager/imagens/upload/ensino%20m%C3%A9dio%201%20-2007-2-05.jpg

Para quem não leu sobre o assunto aqui vai um pequeno resumo: "um projeto apresentado ao Conselho Nacional de Educação (CNE) pretende mudar a organização curricular do ensino médio público do país. A partir das orientações que vão constar nesse projeto, cada rede de ensino vai definir o seu modelo de currículo e organização das escolas. Além da possibilidade de o aluno escolher as disciplinas complementares às básicas, está previsto que o atual modelo da grade curricular, dividido em 12 disciplinas tradicionais, seja dividido em eixos mais amplos como linguagens e ciências humanas. Outra mudança é o aumento da carga horária de 2,4 mil para 3 mil horas/ano e a inclusão de atividades práticas para complementar o aprendizado. O projeto, que está sendo chamado de "ensino médio inovador", pode começar a funcionar já em 2010. A mudança vale só para o ensino público. "

No texto há uma citação assim"- A escola deixa de ser um auditório da informação e passa a ser um laboratório de aprendizagem" numa colocação feita pelo conselheiro Francisco Aparecido Cordão, relator do projeto no CNE. Para ele, o atual modelo curricular aprisiona as escolas.

O projeto do MEC sugere ainda que programas de incentivo à leitura estejam previstos na nova organização pedagógica. Outra orientação é valorizar as atividades artísticas e culturais dentro do currículo. Ai eu me lembrei dos vídeos do Sir Ken Robinson que a Suzana Gutierrez indicou sobre criatividade intitulada "A escola mata a criatividade? " onde ele coloca por que não ensinar dança na mesma proporção de matemática ou português.

Ensinar o professorado "das antigas" a saltar de Bumping Jumping (pois vai ser assim que eles vão se sentir) vai ser difícil, mas que essa transformação vai gerar muita confusão e vai encontrar muita resistência, ah meus amigos não duvidem, mas na minha humilde opinião esse é o único caminho para a redenção do ensino médio. Aqui tem uma reportagem intitulada "Mudança no ensino médio é elogiada, porém proposta deve ser aperfeiçoada, dizem especialistas" onde vários especialistas elogiam a proposta mas apenas acham que ela precisa de ajustes

Espero ver os frutos dessa ruptura num prazo curto de tempo. E você ta esperando oque sobre essa mudança ou pensando sobre isso tudo?

Faz então assim: Comente.

In Infinitum

Robson Freire

4.5.09

Direitos? Mais que Direitos?

Olá Amigos

Hoje estava lendo sobre a manifestação que foi feita contra a chegada do Presidente (ou assassino) do Irã Mahmoud Ahmadinejad em São Paulo. Quando lembro prisão da jornalista Roxana Saberi, condenada a oito anos de prisão por espionagem no Irã, do blogueiro iraniano-canadense Hossein Derakhshanda e da execução (assassinato) da pintora Delara Darabi e todas as atrocidades contra os direitos humanos praticados pelo Irã fico indignado.

http://www.notmytribe.com/wp-content/uploads/2009/03/roxana-saberi-siberry-iran-fox-correspondent-reporter-dakota.jpg

Pior do que receber esse assassino e violador dos direitos humanos com pompas de chefe de estado, e ver o chanceler do Brasil Celso Amorim defender a visita desse criminoso. O Irã é uma nação importante, mas está afundada na intolerância religiosa, racial e sexual. O presidente do Irã mantem preso por espionagem a jornalista e o jornalista-blogeiro, que ganhou reconhecimento ao publicar instruções sobre como utilizar programas de criação de blogs para publicar textos em persa, o que provocou uma expansão do meio de comunicação no idioma iraniano.

http://channel4news.typepad.com/news_from_iran/images/hossein_derakhshan_news_from_iran_blog.jpg

Mas o pior de todas as atrocidades conhecidas foi o assassinato da pintora de 22 anos dizia-se inocente da morte da prima, que ocorreu quando ela tinha 17 anos. Delara Darabi tinha 22 anos e foi enforcada, nessa manhã, na Prisão Central de Rasht, na província de Gilan (nordeste). Em segredo e apesar do Procurador-geral ter decidido, dois dias antes, uma moratória de dois meses para a execução da sentença. A jovem pintora, — que negou ter matado a vítima e tinha a seu favor prova pericial que revelou que uma canhota não poderia ter sido a autora dos golpes mortais, recebeu autorização para ligar para a sua mãe, pouco antes de subir ao patíbulo.

Delara Darabi, 23 anos de idade.

"Mãe, eles vão executar-me; por favor, salve-me!" Eram 07.00 de sexta-feira e estas foram as últimas palavras que a mãe de Delara Darabi ouviu da filha. Falando em seguida com o pai, a jovem iraniana disse que os queria ver e pediu: "Em nome de Deus, salve-me!". Essas foram suas ultimas palavras, pois depois disso o carrasco arrancou o telefone dela e na seqüência, o carrasco da sua filha avisou à atordoada mãe: - “ Mataremos a tua filha agora. Não existe mais nada que possa fazer para impedir”. Depois disso, o telefone foi desligado.

Revoltante, não? Eu imaginei a dor e o desespero dessa mãe ao receber esse telefonema. Não sei a sua opinião mas uma coisa é certa: Aqui ou em qualquer lugar matar um inocente é crime. Assassinato frio e cruel de um inocente.

Por isso amigos fica registrado aqui a minha indignação contra tudo isso que o Irã tem praticado. O mundo poderia ser realmente um lugar melhor de se viver, se ouve-se mais compreensão, amor, paz, fraternidade e amor ao próximo.

In Infinitum

Robson Freire

2.5.09

Sai de cena

Olá amigos

Hoje morreu um dos grandes personagens do teatro brasileiro: o dramaturgo Augusto Boal, embaixador mundial do teatro da Unesco. Criador do Teatro do Oprimido, Augusto Boal que simbolizou uma peça importante da resistência contra a ditadura.

http://images.amazon.com/images/P/0930452496.01.LZZZZZZZ.gif

Fundador do teatro do oprimido, entre 1971 e 1980, ele fugiu da perseguição do regime militar (1964-1985) e viveu exilado na Argentina, Estados Unidos e na França, onde ensinou suas técnicas na Universidade de Sorbonne, em Paris, voltando ao Brasil após a revogação do AI-5 e a Anistia política. Na década de 1990, Boal se elegeu vereador no Rio de Janeiro, pelo PT.

O teatro do oprimido plantou a semente de algumas correntes do teatro moderno que transformam o espectador em parte ativa da peça e enfatiza temas sociais comuns aos participantes e espectadores. Em março, já debilitado pelo câncer, recebeu o reconhecimento de "embaixador mundial do teatro" da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

Augusto Boal por litmuse.

Infelizmente não teremos mais a presença dele entre nos, uma grande perda para o teatro nacional. Como se diz no teatro saiu de cena.

In Infinitum

Robson Freire

29.4.09

Nostradamus do Século XXI

Olá Amigos

Hoje seguindo uma indicação sobre documentários para assistir no feriado eu me deparei com esse filme que esta bombando lá no Festival de Filmes de Tribeca em Nova York.

O filme é Transcendent Man, documentário sobre a vida e idéias de Ray Kurzweil. O diretor Barry Ptolemy viajou com o futurista Ray Kurzweil por dois anos, gravando suas palestras e conversas sobre seu livro “The Singularity is Near“. O inventor norte-americano Ray Kurzweil prevê que em poucas décadas os humanos vão se fundir com máquinas, transformando irrevogavelmente a vida tal como a conhecemos, no filme que estreou no sábado no Festival Tribeca de Cinema, apresenta a vida de Kurzweil e sua previsão de que o envelhecimento e a morte se tornarão obsoletos, suas motivações e as críticas feitas a ele.

http://images-2.redbubble.net/img/art/size:large/view:main/275928-11-transcendent.jpg

E se você está pensando que o cara é doido de pedra, pode ir tirando o cavalinho da chuva, pois além de muitos prêmios e troféus, incluindo o prêmio mais importante de sua área de atuação -- a Medalha Nacional de Tecnologia 1999,ele também tem em seu crédito previsões passadas que mostraram ser acertadas. O cara é o verdadeiro Nostradamus moderno, da uma olhada no trailer do documentário.


Entre outras coisas, ele previu corretamente a ascensão da Internet e que um computador seria campeão mundial de xadrez até 1998, previsão essa que se realizou em maio de 1997.

Ao dizer que até o ano 2029 os computadores poderão equiparar-se à inteligência humana em todas as áreas, Kurzweil aponta para a rapidez com que a tecnologia avançou desde que ele era estudante no Massachusetts Institute of Technology - MIT, época em que um computador ocupava metade do prédio do instituto.

"O computador que ocupava aquele prédio hoje ocupa meu bolso e dentro de 25 anos caberá numa célula sanguínea, e isso é muito previsível", disse Kurzweil, para quem dentro de algumas décadas humanos terão robôs do tamanho de células circulando em sua corrente sanguínea e somando-se a sua capacidade cerebral.

A combinação da inteligência das máquinas com a inteligência humana será "muito poderosa", disse Kurzweil. "E as máquinas continuarão a crescer exponencialmente em sua capacidade."

Kurzweil acha que essa inteligência artificial será usada para combater as doenças e a pobreza, e não para a guerra e a destruição final dos humanos. No filme esse ponto é questionado, pois as pessoas acham esse otimismo exagerado e dizem que as previsões de Kurzweil vão levar muito mais tempo para se realizar, se é que isso vai acontecer.

Sempre aceitei a morte como o fim de um ciclo e que gente é gente e robô é robô, nunca me imaginei meio maquina, meio gente. Há muito tempo eu duvido da boa vontade dos militares e suas paranoias conspiratorias.

Agora me fala uma coisa, como você reagiria se descobri-se que você é meio maquina e meio robô?

Só uma resposta que eu tenho:

In Infinitum

Robson Freire

26.4.09

Prazeres ocultos

Olá amigos

Todos nos temos a nossa válvula de escape, um hobby, um passatempo ou qualquer coisa que o ajude a relaxar no fim de um dia estressante. Eu tenho 3 coisas que me fazem ficar simplesmente em alfa: ler, tocar guitarra e cozinhar.

A música é assim por dizer o meu ponto G, pois toda vez que preciso relaxar e atingir o meu melhor e só ligar o som e mandar ver. Escuto tudo de Duke Ellington a Cama de Gato, de Iron Maiden a Link Park, de Caetano Veloso a The Fevers, Roberto Carlos e toda Bossa Nova enfim sou um cara bastante eclético no quesito musical.

Ler então é minha paixão arrebatadora, pois tem o dom de me transformar nas mais diversas coisas e pessoas, de me levar a lugares e me fazer viver situações que me levam as lagrimas ou as gargalhadas. Leio muito, mais muito mesmo. Tem ano que chego a ler uma média de 15 a 20 livros por ano. E só não leio mais pois absoluta falta de tempo.

Mas se tem uma coisa que eu faço com um prazer assim inigualável é cozinhar. Sou um cara que tem o dom e o conhecimento da arte de cozinhar. Adoro cozinhar e receber os amigos com os mais diversos pratos e sobremesas fantásticas. Tudo isso regado a uma boa cerveja importada ou um vinho de primeira.

Minha amiga Marise Brandão fica babando quando falo o que estou fazendo na cozinha ou preparando. Sou um cara bom de garfo e bom apreciador de vinho e não me privo dos prazeres da boa mesa. Pois poucas coisas na vida tem o dom de proporcionar um prazer tão intenso quando a culinária. Estar de dieta é um sofrimento por assim dizer holocaustico.

E li uma reportagem bem legal falando sobre uma nova dieta que permite tudo, mas ensina o que é mais saudável. É a Dieta das Boas Escolhas que é como se fosse um guia para você emagrecer, ou deixar de engordar, comendo fora de casa todos os dias. Entre duas opções de um mesmo restaurante, entenda por que uma é mais saudável que a outra.

Tem horas que quase todos ficamos na duvida:

O que é melhor: uma latinha de refrigerante ou um copo de suco natural para acompanhar o almoço? Essa resposta é fácil: o suco natural, apesar de eu preferir um Coca-Cola estupidamente gelada com gelo e limão.

Ainda que tenha mais calorias, é muito mais rico em nutrientes. Mas há outras escolhas que não são tão óbvias assim. Entre um sanduíche e outro das grandes redes de lanchonete do mundo, qual o mais saudável (ou qual o menos pior?). Diante de tantas opções de sorvetes, saladas e pizzas de restaurantes variados, como escolher o que tem menos impacto no seu regime? Nos alimentos e bebidas industrializados, a resposta está nos rótulos. As regras são, basicamente, preferir aqueles com menos açúcares, sódio, gorduras saturadas e calorias. No caso dos restaurantes, invariavelmente a regra é ficar longe de molhos à base de maionese e creme de leite, queijos, frituras, óleos e manteigas de qualquer tipo.

A coleção Eat this, No that fez um pente fino nas grandes cadeias de restaurantes americanas para mostrar, em um mesmo estabelecimento, o que rejeitar e o que comprar. As diferenças vão de sutis a surpreendentes: comer uma salada ou um wrap pode ser pior do que pedir um sanduíche tradicional. Há um quadro na pagina da reportagem que mostra opções reais que podem ensinar boas lições de como fazer a melhor escolha.

Eu vou te dar uma dica de boa escolha: Um belo salmão grelhado com gengibre e legumes salteados, uma porção de arroz com ervas finas, salada verde, molho chimichuri, um belo vinho branco (minha sugestão o Montrachet (que se pronuncia monrrachê), que é um vinho branco seco, elaborado com a uva Chardonnay, produzido na Bourgogne - França) bem gelado e de sobremesa um bola de sorbet de limão.

Boas Escolhas e Bona Apetit

In Infinitum

Robson Freire

Ben X - A Fase Final

Olá Amigos

Minhas paixões são conhecidas por todas as pessoas que convivo e dentre elas o cinema é a maior de todas. Brigando logo abaixo vem os games, agora amigos imagina quando se junta duas dessas coisas num filme. O meu amigo Leandro Hassel me deu de presente o filme Ben X - A Fase Final .

Um filme canadense de 2007 com atores nem assim tão conhecidos mas com uma historia para lá de maneira. Supostamente inspirado numa história real, Ben X – A Fase Final é o filme de estréia do crítico de cinema Nic Balthazar e também o escolhido para representar a Bélgica na corrida ao Oscar de Filme Estrangeiro em 2008.

Leiam abaixo a excelente resenha da Renata Gomes feita para a Revista Cinética

 Ben X – " A fase final conta a história de um adolescente que sofre de Síndrome de Asperger, uma forma mais branda de autismo. Com extrema dificuldade de socialização e comunicação, Ben sofre a cotidiana opressão de seus colegas de escola pública. Como refúgio contra essa vida dolorosa, Ben mergulha em Archlord, um MMORPG: massive multi-player online role-playing game – ou seja, um videogame jogado por milhares de pessoas online ao mesmo tempo, cada qual operando um personagem num mundo virtual de temática à la Tolkien. No jogo – que existe fora do filme – Ben é “nível 80”, um herói, em oposição ao “ninguém” do mundo real: tem armas e poderes cobiçados e até uma princesa apaixonada por ele.

http://zondag.files.wordpress.com/2008/12/ben_x.jpg

A melhor dica para mergulhar no filme é ir munido de uma boa dose de generosidade infanto-juvenil, pois tudo nele está embebido em um olhar muito particular, indissociável de algo contemporâneo e ingenuamente jovem: da referência ao machinima à narrativa auto-referente e otimista, passando pela facilidade tecnológica de celulares, câmeras, internet e afins. Baseado num episódio real da vida de um adolescente autista oprimido por colegas de escola, o filme tenta nos manter na corda-bamba, misturando linguagens que vão do documental ao game, passando por uma ficção euro-juvenil com certos ares de Corra, Lola, Corra.

Para tentar representar essa realidade paralela na qual Ben se refugia, o filme faz uso da técnica de machinima: a captura de imagens diretamente do videogame, a partir da “interpretação” de atores-jogadores. Funciona mais ou menos assim: cada ator opera seu personagem virtual e “joga” o game, não visando a competição, mas uma atuação ficcional. A “câmera virtual”, embutida no jogo e também operada por um jogador, enquadra e grava as imagens da encenação/jogo, que depois serão dubladas e editadas, como uma animação de computador. A grande diferença entre machinima – corruptela de machine cinema ou “cinema maquínico” – e computação 3D é que as imagens do machinima são geradas e capturadas em tempo real, mantendo, assim, alguma qualidade inerente ao jogar, inclusive certas limitações que marcam a linguagem do videogame.

http://graphics8.nytimes.com/images/2008/10/24/movies/24ben.xlarge2.jpg

A técnica de machinima não foi inventada pelo ou para o filme, e tem sido explorada há pelo menos uns 20 anos, inclusive como ferramenta para o próprio cinema, sobretudo na geração de cenas de batalha e de multidões. Fora do cinema, no universo da fan culture, o machinima vem se transformando num formato de valor próprio, capaz de gerar obras tão diversas quanto a série que problematiza com humor a natureza robótica dos personagens e cenários de games de tiro – a animações requintadas, da Fountainhead, passando por performances de humor ao vivo, como as que são feitas pelo grupo . O machinima chegou a um patamar já tão requintado, que conta com diversos festivais específicos, onde criatividade, invenção de linguagem e inovação tecnológica disputam os maiores prêmios.

Dentro desse cenário tão diverso, a utilização que o filme faz do machinima é ainda um tanto tímida. O máximo a que chega é entrecortar as cenas “reais” vividas por Ben com cenas tiradas do game, nas quais o personagem projeta a si mesmo como o herói Ben X e aos colegas como inimigos do jogo, na tentativa de dar sentido ao vivido a partir de seu repertório de sucesso em Archlord. Nisso, o filme parece querer deixar claro que Ben vive o jogo assim como a vida, fazendo pouca distinção entre ambos, o que não deixa de ser a grande marca dos games de personagem.

São bons momentos do filme, mas não preservam muito do frescor do jogar. Quase tudo mais se atém ao game em seu nível meramente temático: as amizades virtuais, a recorrência à violência, a natureza de sonho de quem se isola do mundo num universo fantástico de trolls, magos e outros seres, inexistentes no mundo real, mas muito reais para certo nicho de pendor fantástico como jogadores de RPG. A partir do momento em que a opressão leva Ben ao limite, contudo, a linha entre fantasia, auto-referencialidade e verossimilhança começa a se tornar perigosamente escorregadia. O que até então era uma história “baseada em fatos” começa a ficar cada vez menos verossímil, e se isto não é necessariamente ruim, requer ao menos que ajustemos nossos ponteiros com os da narração.

Certos procedimentos, como as inserções “documentais” de pais e amigos de Ben, até então usados aparentemente como estilo, começam a dar na vista, ficando mais para pegadinha do que para algo que enriqueça a narrativa. Quando a amiga virtual de Ben ganha corpo no mundo “real” do filme, tudo se complica ainda mais e qualquer carga de realidade se esvai, mesmo com muito boa vontade de quem vê. No final, a única maneira de seguir aproveitando o filme é continuar lançando a ele um olhar generoso, que compreende que este está mais para a narrativa marcada e caricata dos games, da ética da “vitória poética” – em oposição a consequências reais – que marca a cultura em torno de romances fantásticos e jogos online, da estética da repetição dos games e do vídeo na internet, da natureza meio autista que tem parte da cultura pop tecnológica. É um filme infanto-juvenil, mas isto não é necessariamente um defeito."

Enriquecido ainda por uma direção de arte que ilustra a tristeza do universo de Ben (observem como as únicas cores mais fortes de seu quarto são aquelas relativas ao jogo “Overlord”, como a miniatura de montanha que serve de suporte para o monitor), e por figurinos que ajudam a estabelecer a influência positiva de Scarlite sobre o protagonista (ela é a única que usa um vermelho intenso e alegre; os demais vestem-se em tons de cinza), Ben X é um projeto artisticamente ambicioso que revela sua sensibilidade particularmente através de seus belos diálogos: ao descrever a doença de Ben, seu pai diz que a síndrome era “um problema dele; não para ele” e o próprio rapaz, em sua excelente narração em off, acrescenta: “Nunca fui o que chamam de ‘feliz’, mas nunca fui feliz como agora”
.

Bem com tanta coisa boa que rolou esse ano, Ben X – A Fase Final foi, sem dúvida, uma grata surpresa desse ano que vi em vídeo.


Não sei vocês mais eu gostei. Em tempo já passei 18 horas jogando
Archlord movido a Red Bull. Agora um desejo quando eu morrer escrevam na minha lápide Game Over.

In Infinitum

Robson Freire

25.4.09

Caminhando em direção a luz

Olá Amigos

Hoje li e reli algumas postagens (aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui) da blogagem coletiva proposta lá do Caldeirão de Ideias e cada vez que leio alguma nova postagem fico pensando no que a Suzana falou hoje lá no blog dela. As redes são sim o caminho para a luz, para a iluminação suprema, o caminho para o nosso nirvana (afinal é tempo de Índia).

http://amemgospel.com/controle/imagens/20080226083110.jpg

Formar redes pequenas que se interligam e correspondem são sim o melhor caminho para se alcançar o que eu chamo aqui de luz. Fiquei olhando o gráfico que ela fez (que alias não tem nada de tosco) e imaginei aquilo numa escala de dez, depois pensei: Imagina isso em outra dimensão?

As pequenas mudanças que a escola sofre todo dia (viu eu me revi) sejam por interferência minha, sua ou fruto de nossa reflexão em rede, tende a trazer e solidificar de forma consistente essa mudança. Mas que para mim que nasci com o pé no acelerador (pré maturo, hiperativo, workalic, dedicado e acima de tudo apaixonado) fica difícil esperar e aceitar essa lentidão de resultados.

Sei que vou ver, ter o prazer de entrar e acima de tudo de participar dessa nova escola que está ai na porta do nosso futuro presente. Só sei que mesmo quando tudo estiver contra eu não vou desistir pois sei que posso fazer a diferença. Só espero encontrar os meus amigos nos corredores dessa nova escola.

E depois de um dia cheio,mas completamente satisfeito com todo o processo, quero me sentar a mesa com esses amigos e beber um chope bem gelado ou um cabernet fantástico (Casa Lapostolle Cabernet Sauvignon) e tocar um papo sem hora pra terminar. Isso sim é estar na luz.

In Infinitum

Robson Freire

Rever o quê, mudar por quê

Olá Amigos

Cada dia eu me surpreendo com a quantidade de informação disponível ( e olha que tem professor achando que pode mais, coitado) na internet. Numa dessas andanças eu encontrei essa maravilha de texto intitulada "Rever o quê, mudar por quê" do Luiz Carlos de Menezes, físico ( mais um do ramo Sergio) e educador, é professor da Universidade de São Paulo, no Instituto de Física e no programa de pés-graduação da Faculdade de Educação.

http://thumbs.dreamstime.com/thumb_47/11427070293fVy65.jpg

Nesse texto ele cita:

"O que é necessário rever? Segundo o autor, o Projeto Pedagógico da Escola.
Por quê? Porque assim como o mundo mudou, o público da escola e a função que ela deveria assumir também mudaram. Mas, nem sempre, os Projetos Pedagógicos das escolas refletem tais transformações.
Vencer a resistência à mudança e ancorar-se na esperança é tarefa imprescindível para que a escola enfrente, de maneira corajosa, os problemas que lhes são colocados.
Não há mais como lamentar e esperar que todas as dificuldades se resolvam para que a escola realize sua função com sucesso: fazer com que todos os alunos aprendam.
Para isto, é preciso mudar o "velho Projeto Pedagógico", marcado principalmente pela centralidade do aspecto cognitivo na tarefa educativa. Conceber um "novo Projeto Pedagógico" voltado para o desenvolvimento de competências e para a promoção de valores humanos e éticos, bem como comprometido com saberes práticos.
Mas, para a construção deste Projeto Pedagógico não existem modelos ou regras; ele deve ser feito por e para cada escola.
Enfim, é preciso realizar uma revisão efetiva da escola para que, se transformando, ela possa, de fato, assumir sua função neste mundo também transformado."

Clique aqui para ler o texto na íntegra. Para isso você precisa ter o programa Acrobat Reader.

Esse texto é um artigo publicado na Revista Acesso: revista de educação e informática n. 14. São Paulo: FDE, dez. 2000. Páginas: 29-34

Não deixe de ler.

In Infinitum

Robson Freire

24.4.09

Repense a educação. Reinvente-se

Olá Amigos

Hoje me deparei com essa postagem abaixo , que como diria a Suzana Gutierrez matadora. Nela é apresentada pelo impressionante Hélio Teixeira uma campanha muito interessante feita pela Universidade de Johannesburg, na África do Sul, que visa combater a evasão escolar.


Sim lá também tem esse problema. Esse problema não é exclusividade nossa, é mundial. Para resolver o problema a universidade sul-africana realizou uma pesquisa entre jovens e adolescentes em idade escolar e, para surpresa geral, chegou às mesmas conclusões do estudo feito pela FGV. Os jovens simplesmente não vêem os estudos como algo importante em suas vidas.

Então em vez do blá blá blá já tradicional de autoridades e gestores públicos ele inovaram contratando uma agência de publicidade para criar uma campanha que ajudar a fazer "cair a ficha" dos estudantes de lá. Agência HKLM Connect que criou a campanha intitulada “Rethink education. Reinvent yourself” (Repense a educação. Reinvente-se) que da título a postagem. Além de uma excelente direção de arte, a campanha tem um conceito maravilhoso!!!!

São essas coisas que me fazem acreditar que nem tudo está perdido.
Confira as imagens da campanha.

In Infinitum

Robson Freire

Junte-se a esta "Gang" (Excelente!!!!)

Postado por Hélio Teixeira em Friday, 24 April 2009

junte-se-a-esta-gang

Quando o assunto é Educação Pública, todos são unânimes (ao menos no discurso) em afirmar: “os investimentos em Educação deve ser uma prioridade de Estado”. Este aliás, parece ser o “mandamento” número UM da cartilha do bom gestor público. Apesar dos discursos politicamente corretos dos nossos gestores, há que se admitir que ainda estamos longe da situação ideal. Como bem disse o gênio Cazuza, ”a tua piscina tá cheia de ratos. Tuas idéias não correspondem aos fatos…”, ou seja, o discurso da imensa maioria desse pessoal, é pura demagogia!!!!

É preciso entender que idéias, por melhores que elas sejam, só transformam uma realidade se forem sustentadas por ações práticas e efetivas. Só o blá, blá, blá… não resolve nada!!!

O fato mais revoltante desta história trágica, é que existe uma infinidade de ótimas experiências espalhadas pelo mundo (Finlândia, Tigres Asiáticos, Suécia, Dinamarca…), que poderiam muito bem (se houvesse de fato vontade de fazê-lo!!!!) servir como inspiração para tirarmos a Educação Pública brasileira do abismo onde ela se encontra.

Semana passada, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) publicou uma pesquisa que desfaz (ao menos em parte) um dos maiores mitos em torno de um problema importantíssimo para a educação brasileira, a evasão escolar entre jovens e adolescentes. Segundo os pesquisadores da FVG, ao contrário do que se imaginava, a principal causa do abandono escolar entre os jovens não é a necessidade de trabalhar (para ajudar no sustento da família) e sim a falta de interesse na escola. Ainda segundo a pesquisa, uma parte considerável dos jovens que abandonam as salas de aula, não consegue perceber como os seus estudos podem melhorar as suas condições de vida e das suas famílias. Para eles estudar, além de trabalhoso e chato, não leva a lugar nenhum, é uma completa perda de tempo.

Ao que parece, este quadro preocupante não é um problema exclusivo do Brasil. Esta semana me deparei com uma campanha muito interessante feita pela Universidade de Johannesburg, na África do Sul, que visa combater justamente esse problema. A universidade sul-africana realizou uma pesquisa entre jovens e adolescentes em idade escolar e, para surpresa geral, chegou às mesmas conclusões do estudo feito pela FGV. Os jovens simplesmente não vêem os estudos como algo importante em suas vidas.

Para tentar fazer “a ficha cair” na cabeça dos jovens daquele país, a Universidade de Johannesburg contratou a Agência HKLM Connect que criou a campanha intitulada “Rethink education. Reinvent yourself” (Repense a educação. Reinvente-se). Além de uma excelente direção de arte, a campanha tem um conceito maravilhoso!!!!

Confiram:

Para ampliar, clique na imagem.

Para ampliar, clique na imagem.

Para ampliar, clique na imagem.

Para ampliar, clique na imagem.

Para ampliar, clique na imagem.

Para ampliar, clique na imagem.

Para ampliar, clique na imagem.

Para ampliar, clique na imagem.

Para ampliar, clique na imagem.

Para ampliar, clique na imagem.

Para ampliar, clique na imagem.

Para ampliar, clique na imagem.

Para ampliar, clique na imagem.

Para ampliar, clique na imagem.

FICHA TÉCNICA

Agência: HKLM Connect, Johannesburg, South Africa

Diretor de Criação / Diretor de Arte: Ross Ventress

Redator: Rudolph Van Rensburg

Ilustrador / Fotógrafo: Am I Collective

Data da publicação: Dezembro de 2008

Hélio Teixeira, é publicitário e editor do Blog Chapa Branca. Apaixonado pelo universo da Comunicação Digital e suas ciências. Nas horas vagas, se diverte “trabalhando” como consultor de comunicação e marketing digital. Acredita no poder transformador e mobilizador da boa Comunicação. Um idealista “incurável”!!!. Veja os artigos já publicados por ele.

Fonte: http://comunicacaochapabranca.com.br/?p=5660

23.4.09

Precisa dizer mais alguma coisa?

Olá Amigos

Hoje estava mexendo na minha coleção de CDs para dar aquela famosa "arrumadinha básica" e encontrei um CD que a muito tempo eu não escutava. Era o CD do Gabriel O Pensador intitulado Seja Você Mesmo ( Mas Não Seja Sempre o Mesmo) . Nele tem uma música que toda vez que escuto fico pirado. A música é a Até Quando? que na minha humilde opinião ela é um hino contra o conformismo imperante nos dias atuais. Veja que vídeo demolidor do Gabriel O Pensador.



Estamos falando sobre que rumo tomar em relação ao papel da escola e papel do professor diante dessa encruzilhada. E quando vejo pessoas receosas com medo de mudar ou de assumir a sua responsabilidade diante desse processo eu fico indignado. Vejo soltarem os assassinos da Dorothy Stang, impunidade com os corruptos, farra de passagens aéreas com dinheiro do povo e ministro do Supremo batendo boca igual a comadres, isso é como se fosse por assim dizer a cereja do bolo da indignação.

Na letra ele fala exatamente aquilo que penso sobre mudança: Que toda mudança começa comigo. Pois sou EU que POSSO e vou MUDAR o mundo. Olha que letra maravilhosa onde ele mostra onde começa a mudança.

Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente
A gente muda o mundo na mudança da mente

E quando a mente muda a gente anda pra frente

E quando a gente manda ninguém manda na gente
Na mudança de atitude não há mal que não se mude nem doença sem cura

Na mudança de postura a gente fica mais seguro

Na mudança do presente a gente molda o futuro


Isso responde a tudo que já foi dito até agora, pois eu e você somos os agentes dessa mudança. Mudanças grandes ou pequenas não importa, mas que vão mudar o mundo em que vivemos.

Agora me responde uma coisa:

Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ficar sem fazer nada?

Até quando você vai levando porrada, porrada?

Até quando vai ser saco de pancada?


Eu não vou. E você vai?

In Infinitum

Robson Freire