17.4.09

Preconceito um veneno da alma

Olá Amigos

Seguindo uma indicação do meu amigo Sérgio Lima do blog Blog e Fisica - Um blogue específico sobre Fí­sica e Educação ele fez uma chamada que me despertou a atenção para um vídeo, que alias já virou hit na internet. O vídeo tem como tema o preconceito e como pré julgamos as pessoas pela sua aparência. O Sérgio me pergunta no email de indicação do vídeo essas perguntas:

Quantas vezes você julgou uma pessoa só pela sua aparência?
Ou julgou previamente algo pela aparência?

Muitos já devem ter visto, e muitos outros ainda irão ver. Nos últimos dias, as pessoas se renderam a um vídeo que já se aproxima dos 4 milhões de views. E o nome da "celebridade" do dia responsável por este fenômeno é Susan Boyle.

Susan participou do programa Britain's Got Talent, e o que se vê é muito mais do que uma simples (?) performance de uma excepcional cantora. O que encanta mesmo é a lição que nos dá contra o preconceito. Preconceito este que simplesmente nos impede de ver o melhor que o ser humano é capaz de fazer.

Todo mundo que se diz não ser preconceituoso SEMPRE terá a impressão estranha quando ver algo "diferente". O que todo mundo precisa aprender é simplesmente dar oportunidade dessa impressão mudar. Hoje o preconceituoso estranha e não dá chance da pessoa provar ser diferente. O não-preconceituoso falso-moralista estranha e tenta contornar a situação e sair de fininho. A questão não é o julgamento inicial. É dar a chance de mudá-lo depois (foi o caso do vídeo)

Para entender melhor, assista ao vídeo legendado em português clicando aqui. Ele é auto-explicativo. E duvido você assistir sem ficar com os olhos cheios d'água. Ao menos por um momento.

Susan Boyle deu a todos uma GRANDE LIÇÃO DE VIDA! Todos aqueles preconceituosos tiveram que se curvar a uma criatura tão simples e humilde! Todos deveriam ter é muita vergonha! Quando tenho o privilégio de assistir a cenas como esta fico muito feliz pois sei que o mundo não está perdido e todos que tem esses "pré-conceitos" acabam se redimindo, seja de uma ou outra maneira. Brilhante!

Pessoal, infelizmente o Youtube está impedindo a incorporação do vídeo, por motivos de requisição de material, provavelmente feito pela Fremantel, dona dos direitos do programa Britain's Got Talent. Isso está acontecendo em todos os vídeos da Susan Boyle. Infelizmente, porque eu também gostaria de incorporar o vídeo aqui no nosso blog. Uma Pena.

In Infinitum

Robson Freire

5 comentários:

Sérgio F. Lima disse...

Opa Robson,

Pra você ter uma ideia de como este video está bombando, eu li sobre ele no portal do UOL!

Fantástica a sua resenha análise do mesmo!

Também fiquei com cisco no olho quando vi ( e vi várias vezes).

abração

diana pessoa disse...

olá robson,
tb assisti o vídeo pela indicação do prof.Sergio...
amei,
tb fiquei com os olhos marejados...
gostei muito de suas palavras e concordo contigo,
grande abs recifense,
inté.

Jenny Horta disse...

Oi amigão alvinegro!
Estranhamente, tive uma reação diferente da maioria. postei lá no blog sobre isso.

UAUUUU!!! Tá chegando a hora!! Fui fazer as unhas para não roer!!!

rociorodi disse...

Oi, Robson!
Você nos fez assistir um belo vídeo. Chamou a atenção sobre o preconceito. Atitude louvável. "Nos dias de hoje é bom que se proteja ofereça a face para qualquer que seja (...) Não fale do medo que temos da vida; Não ponha o dedo na nossa ferida; Nos dias de hoje não lhes dê motivo; Porque na verdade eu te quero vivo". Veio essa letra de Ivan Lins.

Por isso compoartilho do mesmo sentimento que a Jenny. Vejo talentos em tantos meninos e meninas que estão perambulando pelas ruas, desiludidos... E as pessoas chamam eles de loucos!

Na estatística do fracasso escolar, é uma questão de gênero, os meninos tem mais insucessos! Mas, existem meninas feias, ignorantes, malcriadas, ladras... E tantos outros estereótipos, como se a família fosse a única culpada. A família é outra vítima. De quem? Do sistema? Quem faz parte dele? "O Governo? A Sociedade?". Boas transferências - chavões que nos redimem. A família de cada uma delas vê a escola como uma oportunidade diferente do que lhe foi "destinado". E essas crianças e jovens seguem o rumo, pau que nasce torto...
Usei esse teu espaço como lugar desse manifesto, pelo que vejo na escola, alguns professores não mais acreditam nas crianças que não aprendem como as outras.
Um abraço!
Maria do Rocio
Olá, Jenny!

Compartilho do mesmo sentimento que você, não me impressionei com a cantora. Talvez porque eu gosto de trabalhar com crianças em defasagem idade-escolaridade. Na escola criamos o projeto "Asas da Imaginação" a fim de reencantar a educação e apostar nas aprendizagens possíveis. Essa é uma utopia que eu quero viver e vivo. A gente descobre tantos talentos entre eles. Alguns desses jovens não conseguem superar a sua realidade - de abandono e pela falta de afeto deixaram de sonhar e ter boa autoestima - e a gnete se sente impotente a vê-los vez por outra na droga ou participando de roubos. Voltamos a falar com eles, mas nos acham diferentes da maioria das pessoas, que chuta-os. Parece que a gente vê eles se afogando em alto-mar e a gente está na beira da praia se sentindo impotente. Sinceramente, não me surpreendeu, pois existem como ela muitos talentos afogados. A sociedade tem um padrão de pessoa para o sucesso. As outras não têm oportunidades, ou seja, não lhes abriram as portas como a ela que cavou esse espaço, pois, conseguiu ser resiliente!
Um abração!
Maria do Rocio

Robson Freire disse...

Olá Maria do Rocio

Ufa!!

Fiquei emocionado de verdade quando li o seu comentário. E exatamente esse ponto em que eu me pego todo santo dia refletindo. Ter uma oportunidade passa pela conjunção de fatores econômicos, sociais, familiares e principalmente éticos e morais.

E nisso a cultura e o esporte podem ajudar muito. Na postagem acima eu discuto com amigos o poder da cultura como agente transformador. E os chavões dado aos alunos cairiam por terra se a eles fosse dado voz e oportunidade de mostrar o seu talento, seja ele qual for.

Mas o desinteresse dos alunos com a escola também e culpa nossa, pois alguns de nos perdeu a capacidade de escuta-los em seus desejos, necessidades e anseios. Talvez por isso eles estejam tão longe da escola.

Maravilhosa colocação e acho que você não deve mudar e acreditar sim que é possível mudar o mundo.

Abraços